Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Canal Intercetor de Esposende reconhecido como projeto exemplar por técnicos ambientais internacionais

visita_canal_intercetor__1_
visita_canal_intercetor__9_
visita_canal_intercetor__15_
11 Julho 2024

O Canal Intercetor de Esposende recebeu, recentemente, a visita da comitiva de parceiros do projeto NBRACER - Nature Based Solutions For Atlantic Regional Climate Resilience.

Financiado por fundos europeus, este projeto pretende responder ao desafio de adaptação dos territórios às alterações climáticas através de uma abordagem inovadora e prática, acelerando a transformação para regiões resilientes às alterações climáticas e que sejam seguras, verdes, limpas, saudáveis e justas.

A CIM Cávado é uma das três "regiões replicadoras" no projeto NBRACER para definir e coprojetar soluções baseadas na natureza (NBS) sustentáveis e localmente adaptadas, sendo signatária da carta da Missão Adaptação às Mudanças Climáticas do Horizonte Europa.

A Vice-Presidente da Câmara Municipal de Esposende, que detém a área funcional “Ambiente e Energia”, Alexandra Roeger, acompanhou a comitiva constituída por membros da Climate Kic e da Universidade de Lisboa na visita ao Canal Intercetor, um projeto de excelência no território da CIM Cávado, proteção e gestão de riscos, cheias e inundações da cidade de Esposende, num investimento superior a 5 milhões de euros.

A construção do Canal Intercetor arrancou em 2019, após o Ministério do Ambiente ter classificado a cidade de Esposende como “zona crítica”, no âmbito do Plano de Gestão de Riscos de Inundação, elaborado pela Agência Portuguesa do Ambiente. O projeto desenvolvido pelo Município de Esposende acolheu o financiamento do Fundo de Coesão, ao abrigo do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR).

Este arrojado projeto conta com diversos sensores de monitorização do caudal que, em tempo real, permitem o recurso a pontos alternativos de escoamento das águas. A ladear o canal foram efetuadas cerca de 30 mil plantações, entre árvores, estacarias e arbustos, e foram adotados materiais de salvaguarda do património natural, nomeadamente da vida selvagem e dos habitats. Este projeto enquadra-se na estratégia ambiental do Município e tem por base os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, nomeadamente no que se refere ao ODS 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis, ODS 13 – Ação Climática, ODS 15 – Proteger a Vida Terrestre e ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.

Estas técnicas e estratégias mereceram a aprovação dos responsáveis do projeto NBRACER: “um exemplo estimulante de um corredor azul-esverdeado de 4,5 quilómetros de comprimento que combina as funções de um sistema de monitoramento de fluxo e drenagem de água altamente eficaz, de uma infraestrutura desportiva e de lazer verde ao redor da cidade e de um laboratório vivo que apresenta aos visitantes uma ampla gama de soluções baseadas na natureza in situ que protegem a vida selvagem e os habitats, ao mesmo tempo que melhoram a qualidade de vida das comunidades vizinhas”.

Nesta deslocação a Esposende, a comitiva teve, ainda, um vislumbre dos principais desafios da erosão costeira que afeta construções, ecossistemas naturais e praias.

O périplo à região da CIM Cávado incluiu também a visita ao Rio Este, em Braga, e a participação num workshop promovido pelo Município do Porto.