Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

CONCERTO “Lux Resurrectionis”

Agenda
15 Mar '24

Sexta-feira, 15 de março | 21h30

IGREJA MATRIZ DE ESPOSENDE

Orquestra da Costa Atlântica e Ensemble Capella Duriensis

O ano de 2024 será musicalmente preenchido, em todo o mundo, por homenagens ao magnífico compositor francês Gabriel Fauré (1845-1824). A Orquestra da Costa Atlântica e o maestro Luis Miguel Clemente associam-se a estas celebrações, por ocasião do tradicional concerto para o Tempo da Quaresma.

O programa “Lux Resurrectionis” (Luz da Ressurreição) centra-se na evocação da narrativa bíblica da Paixão de Cristo, da morte e do “para além da morte”, da transfiguração humana ou do milagre divino.

Na primeira parte do concerto, irão ser interpretadas obras famosas do repertório orquestral coral litúrgico da autoria de Fauré, Albinoni e Mozart.

A segunda parte é dedicada ao “Requiem” de Gabriel Fauré, a obra-prima deste compositor francês.

Direção musical: Luis Miguel Clemente

Coprodução: Município de Esposende e Orquestra da Costa Atlântica

A Orquestra da Costa Atlântica é uma estrutura artística financiada por: República Portuguesa e DGArtes

Apoio: Antena 2 e Paróquia de Esposende

Concerto integrado na programação cultural da Quaresma e Semana Santa


Orquestra da Costa Atlântica

A Orquestra da Costa Atlântica reúne instrumentistas de elevado nível técnico e artístico numa formação de singular excelência no panorama musical português. Constituída por um efetivo de sessenta instrumentistas profissionais, a Orquestra da Costa Atlântica pode ser reduzida ou expandida de acordo com as especificidades de cada programa de concerto. Desta forma, a orquestra pode interpretar um amplo repertório, que se estende do Barroco até à música contemporânea, bailados ou óperas, assegurando uma intensa e versátil atividade artística. Em cada temporada, a Orquestra da Costa Atlântica realiza uma série regular de concertos em diversas salas do país. Através da atividade concertística e da criatividade dos programas que apresenta, a orquestra cumpre uma função descentralizadora no acesso das pessoas à música erudita. Contribui ainda para a captação e formação de novos públicos, e gera um indiscutível valor cultural e social para as comunidades e território onde se apresenta. A Orquestra da Costa Atlântica tem como Diretor Artístico e Maestro Titular Luis Miguel Clemente, reconhecido como um dos mais carismáticos, talentosos e estimulantes maestros da cena musical portuguesa. O projeto artístico protagonizado pela Orquestra da Costa Atlântica é reconhecido como um dos mais inovadores e uma referência no âmbito da música erudita em Portugal.

 

Ensemble Capella Duriensis

Desde a sua fundação em 2010, o Ensemble Vocal Capella Duriensis tem atuado em diversos festivais em Portugal Continental e Insular, apresentando um repertório que inclui dos mais remotos manuscritos medievais até à música dos nossos dias. A primeira gravação comercial do grupo, baseada na música do Rito Bracarense e publicada em 2013, esteve na base de um projeto de rádio especial rádio que foi difundido a nível mundial pela EBU (European Broadcasting Union) em 2014. As digressões pelo Reino Unido, em 2012, em Wells e Bristol, estabeleceram o ensemble como "embaixadores da música portuguesa". As digressões incluíram posteriormente, em 2014/2015, o Reino Unido - Catedral de Truro, Mosteiro de St. Germans e St. George (Londres, Hanover Square), Holanda (Ciclo Fabulous Fringe, Festival Internacional Oude Muziek, Utrecht) e Croacia (55th Musical Evenings in St. Donat, Zadar). O ensemble continua a apresentar-se regularmente em todo o país, entre outros locais, em Leiria, Alcobaça, Mafra, Coimbra, Braga, Guimarães, Festival “Terras sem Sombra”, ilhas dos Açores e Lisboa. Foi convidado para o Festival Internacional de Marvão (dirigido por Christoph Poppen) e tem participado em várias edições do Festival “Música em S. Roque”, em Lisboa, incluindo a mais recente edição de 2023. O grupo iniciou, entretanto, uma parceria com a editora clássica da NAXOS para um projecto de longo prazo intitulado “Portuguese vocal masterpieces of the 16th and 17th Centuries”, incluindo a gravação de vários CD's. A atividade do grupo não se limita à performance em concerto, mas também ao ensino, através da organização de um evento internacional anual de canto coral, que já contou com quatro edições, intitulado “Summer Singing”. Estes eventos têm incluído músicos da maior importância como Simon Carrington (maestro e fundador dos King Singers), Alan Woodbridge (Diretor dos Coros da Ópera, Genebra) e Susan Waters (Guildhall School, Londres). É ensemble dirigido, desde a sua fundação, por Jonathan Ayerst.