Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Escola Coral de Esposende estreia “Paixão de Cristo Segundo S. João” do compositor António Capitão Ribeiro

passio___127
passio___267
passio___269
27 Março 2024

Integrado na programação cultural da Quaresma e Semana Santa, promovida pelo Município de Esposende, o Coro de Pequenos Cantores de Esposende e o Coro Ars Vocalis, apresentaram em estreia, no passado dia 23 de março, na Igreja Matriz de Esposende, a obra “Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo Segundo S. João”.

Seguindo uma tradição de há alguns anos de encomenda de novas composições dedicadas a esta quadra, o Município de Esposende e o projeto “Escola Coral de Esposende”, gerido pedagógica e artisticamente pela Escola de Música de Esposende, lançaram este ano o desafio de escrita ao compositor esposendense António Capitão Ribeiro. A obra apresentada teve por inspiração e grande referência a escrita ao estilo barroco, e, em particular, as grandes “Paixões” de Johann Sebastian Bach, que se constituem como um importante marco na História da Música. Aos recitativos, com a narração da Paixão interpretada pelos solistas, acrescentaram-se súplicas e meditações poéticas sobre os diferentes acontecimentos, sob a forma de corais, motetes corais, interlúdios corais ou instrumentais, que cantaram, com e sem palavras, e um “Stabat Mater Dolorosa”, poema medieval que medita sobre o sofrimento de Maria, Mãe de Jesus, ao pé da Cruz.

Sob direção musical de Helena Venda Lima, para além dos coros, foram intérpretes os cantores solistas João Carvalho, José Davide Barros, Gustavo Gil Godinho e Henrique Lencastre, assim como Diogo Zão, ao órgão, e o Quinteto de Cordas da Sinfonietta de Braga, constituído por Pedro Oliveira (violino 1), Joaquim Pereira (violino 2), Eugénia Lima (viola d’arco), João Cunha (violoncelo) e Daniel Gomes (contrabaixo).

Com a presente obra, o compositor visou evocar e homenagear toda uma tradição de vivência local da Semana Santa com mais de quatro séculos, onde a música tem assumido um papel central, ampliando a dimensão espiritual associada a este Tempo. Ao encomendar esta obra a António Capitão Ribeiro, o Município e a Escola de Música de Esposende quiseram também homenagear e reconhecer o seu notável percurso, ora como compositor, organista, cantor, diretor coral, mas também como pedagogo, tendo dedicado toda uma vida ao serviço da cultura, muito em particular, e no contexto local, na Igreja Matriz de Esposende e como antigo docente da Escola de Música de Esposende. Neste âmbito, destaca-se a criação, pela sua mão, do primeiro projeto de um coro de pequenos cantores, que gerou semente e se constituiu com um dos pilares de referência para o trabalho que hoje se desenvolve no âmbito da Escola Coral de Esposende. Reconhecendo a relevância da sua ação, de registar que António Capitão Ribeiro foi agraciado pelo Município de Esposende em 2006 com a Medalha de Mérito Cultural.

Este concerto, que contou com enorme adesão de público, que lotou por completo a Igreja Matriz de Esposende, foi o terceiro de uma programação dedicada a esta quadra, num total de quatro concertos. A programação iniciou no dia 15 de março, com o concerto “Lux Resurrectionis”, na mesma igreja, e que contou com a interpretação da Orquestra da Costa Atlântica e do ensemble vocal Capella Duriensis, onde se destacou a apresentação do “Requiem” do compositor francês Gabriel Fauré, este ano em que se assinala o centenário da sua morte. No dia seguinte, na Igreja da Misericórdia de Esposende, e com um repertório dedicado à música religiosa tradicional portuguesa, apresentou-se o Ensemble Cardo-Roxo, com o concerto “No Monte das Oliveiras”. A terminar esta programação, terá lugar no dia 27 de março, às 21h30, na Igreja Matriz de Esposende, o concerto “In Cruce”. Um concerto meditativo em torno das “Sete Últimas Palavras de Cristo na Cruz”, interpretado pelo Coro de Câmara da Igreja Matriz de Esposende.

Estes concertos enquadram-se na estratégia cultural do Município de Esposende e no cumprimento das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da ONU.