Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Município de Esposende lançou livro que reúne as peças de arte pública

Img 20210827 wa0005 1 1024 2500
27 Ago

IMG-20210827-WA0005
O Município de Esposende apresentou hoje, dia 27 de agosto, o livro “a arte na rua” que reúne o levantamento das esculturas e peças de arte pública do concelho, desde 1907 (a primeira) até Julho de 2021. No livro constam 73 peças, de 38 autores (alguns marcaram presença na cerimónia), mas nos últimos tempos foram inauguradas mais três estátuas que ainda não figuram neste roteiro.
Resultando de um rigoroso estudo que começou pela identificação e localização de todas as obras espalhadas pelas freguesias do concelho, à qual se seguiu uma investigação que foi desde o apuramento do contexto e data da inauguração de cada peça, à apreciação das suas linhas artísticas e conceito, bem como a história dos seus homenageados e autores. A isto, acrescentou-se o registo fotográfico e a recolha de outras imagens e recortes de jornais.
“Este livro será o ponto de partida para um roteiro temático que permitirá visitar as peças dispersas no território. O levantamento destas obras de arte revela a diversidade de materiais usados, mas também a diferença na abordagem, permitindo enquadrar o momento em que ocorreu a inauguração”, referiu o presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira.
O autarca destacou, de resto, “a identidade cultural” criada com a dinâmica que foi impulsionada, através da colocação de peças de arte no espaço público e entende que essa decisão “contribui para a satisfação dos esposendenses e para a atratividade e fixação de residentes”.
Helena Pereira, consultora para o Plano Estratégico da Cultura de Esposende lembrou que “a arte tem a função de chegar a toda a gente”, enfatizando a democratização que confere a utilização do espaço público para expor.
“Colocar uma peça de arte no espaço público significa permitir que todos acedam ao seu conhecimento”, destacando os consequentes contributos para “o conhecimento, o autoconhecimento e, consequentemente, para uma melhor formação individual e coletiva”.
João Neiva, técnico do Município de Esposende que coligiu a matéria que forma este livro/catálogo, lembrou que a obra “será sempre um trabalho inacabado e que poderá ter uma segunda edição no futuro, tendo em conta que o Município de Esposende, Juntas de Freguesia e instituições deste concelho, têm vindo regularmente a brindar este território com novas esculturas e peças de arte pública”.