Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Esposende adere à Rede Portuguesa de Cidades Inteligentes

Cidades inteligentes 1 1024 2500
19 Dez
O Município de Esposende aderiu à RENER Living Lab–Rede Portuguesa de Cidades Inteligentes. A proposta de adesão foi aprovada, por unanimidade, na reunião do Comité Estratégico deste organismo, certificando que Esposende possui uma estratégia municipal para uma Cidade Inteligente e políticas setoriais nas áreas das smart cities.

O Município de Esposende aderiu à RENER Living Lab – Rede Portuguesa de Cidades Inteligentes. A proposta de adesão foi aprovada, por unanimidade, na reunião do Comité Estratégico deste organismo, certificando que Esposende possui uma estratégia municipal para uma Cidade Inteligente e políticas setoriais nas áreas das «smart cities».

A rede foi criada em 2009, enquanto Rede Piloto para a Mobilidade Elétrica e, em 2013, apostou no alargamento temático da sua intervenção, incorporando outras áreas como a eficiência energética, as energias renováveis, a gestão de água e resíduos, a governação e cidadania, a cultura e o turismo, numa lógica de modelo integral de cidade inteligente. Ao longo do último ano, promoveu o seu alargamento geográfico, ganhando escala, massa crítica e capacidade de cooperação.

A Rede Portuguesa das Cidades Inteligentes tem como objetivos promover o desenvolvimento e produção de soluções urbanas inovadoras, de forma integrada, com vista à estruturação da oferta e sua valorização nos mercados internacionais; potenciar a participação das empresas e cidades no mercado das cidades inteligentes; e afirmar a imagem de Portugal como espaço de conceção, produção e experimentação de produtos e serviços.

Para além do Comité Estratégico, este organismo integra o Gestor da Rede, que tem como funções promover a articulação do consórcio com as políticas europeias na área das cidades inteligentes, com foco na “Smart Cities and Communities European Innovation Partnership”, fornecendo aos membros a informação necessária para o acompanhamento das iniciativas da União Europeia. Visa também promover a articulação da Rede de Cidades Inteligentes com as iniciativas internacionais na área das “smart cities”, fomentando o estabelecimento de parcerias com outras redes, municípios e demais atores relevantes, assim como agilizar a participação dos municípios da Rede na plataforma “Smart cities”, nomeadamente empresas e centros de conhecimento, e apoiar os municípios no sentido da angariação de fontes de financiamento para a execução das atividades definidas pelo consórcio.

A adesão a esta rede constitui-se, assim, como um incremento para a competitividade do Município tanto a nível nacional, como internacional, conferindo-lhe fatores extra de atratividade económica. Este desafio pressupõe a procura das melhores soluções para os desafios colocados pelas novas exigências tecnológicas, ambientais, sociais e económicas, ou seja, políticas orientadas para o desenvolvimento sustentável e para um futuro mais inclusivo

Consciente de que a inovação na Administração Pública Local é crucial para municípios e cidades mais competitivos e tendo em conta a filosofia de cooperação em rede preconizada pela Rede Portuguesa das Cidades Inteligentes, o Município entende que esta é uma oportunidade para a melhoria na prestação de serviços públicos de qualidade, definidos pelas expectativas dos cidadãos, e prestados com eficiência, eficácia, ética e economicidade.