Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Miradouros, pontos de observação de aves e valorização dos percursos pedestres reforçam Turismo de Natureza

Observat rios de aves rio c vado1 1 1024 2500
29 Jan

PraiaSuavemarESPOSENDE6

Prosseguindo a forte aposta no Turismo da Natureza, o Município de Esposende vai reforçar a rede de infraestruturas de visitação, apostando em três eixos de valorização do território: criação de miradouros, pontos de observação de aves e valorização dos percursos pedestres.
Esta ação implicará um investimento de 41 mil euros, sendo comparticipada em 88,42%, no âmbito do Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE), no qual se insere o projeto-âncora 8, dirigido a ações de qualificação dos produtos turísticos estratégicos do Minho: Turismo de Natureza / Náutico.
Esposende tem vindo a assumir-se cada vez mais como um dos melhores destinos do Turismo da Natureza, graças à diversidade e valorização de recursos naturais bem como dos espaços da natureza, protegidos por uma política ambiental de conservação e proteção. Cerca de 18% do território integra a rede NATURA 2000.
Através de uma Rede de Miradouros, pretende-se proporcionar as condições para que o visitante conheça a paisagem e outros patrimónios. A Rede de Miradouros – constituída pelos montes de Arnelas (Gemeses), Faro (Palmeira), S. Lourenço (Vila Chã), Senhora da Paz (Marinhas) e Picotinho (Mar) e da Senhora da Guia (Belinho) - dará forma a uma rota, devidamente assinalada, que valorizará não só esses locais, como todo o património natural e paisagístico no concelho de Esposende. Em alguns destes pontos serão instaladas lunetas de observação e colocados painéis interpretativos da paisagem. Realizar-se-ão visitas guiadas frequentes assim como será editada uma brochura promocional e informativa desta rota, para a devida valorização de mais este produto que se pretende enriquecer.
Este projeto contempla, ainda, a valorização da biodiversidade existente no cordão dunar existente ao longo dos 16 quilómetros de frente marítima e dos estuários dos rios Cávado e Neiva, inseridos no Parque Natural do Litoral Norte. Zona situada no eixo de migração de muitas aves, onde é natural que estas encontrem algum abrigo para repousarem, alimentarem-se e até nidificar. Por isso, este território apresenta os cenários ideais para a prática do Birdwatching, razão pela qual serão instalados equipamentos promotores, em Esposende, junto à foz do rio Cávado e em Antas, na foz do rio Neiva, com a instalação de observatórios para aves e informação de suporte sobre a temática, a juntarem-se a outros já devidamente colocados e conhecidos, tais como as torres de observação na Lagoa de Apúlia e em Belinho.
O terceiro eixo de valorização da natureza incide nos percursos pedestres da rede Municipal, relevando o património arqueológico, arquitetónico, religioso e etnográfico. A diversidade natural, assente no planalto serrano, nas encostas suaves com patamares de depósitos e nas planícies aluvionares e marinhas, contribuem para a diversidade natural de Esposende, proporcionando um cenário para as práticas desportivas e de lazer, sejam suaves passeios, caminhadas ou grandes provas de Trail.
A Rede Municipal de Percursos Pedestres, desenhada em mais de 140 quilómetros de trilhos, as ecovias do Litoral Norte (de Apúlia a Antas) e do Cávado (de Fão a Rio Tinto), são entrecortados por Rotas de Peregrinação, tais como o Caminho Português da Costa para Santiago de Compostela e o Caminho para S. Bento (Porta Aberta e Várzea). Todas proporcionam um contacto privilegiado com a natureza, conhecendo os locais ímpares mais aprazíveis e bucólicos, propiciadores de experiências únicas.
Para além de contribuir para o bem-estar do visitante, a aposta no Turismo da Natureza visa divulgar o concelho e a sua biodiversidade, estimulando a economia local através de uma oferta turística mais ampla, devidamente sinalizada.
Esta postura enquadra-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas.