Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Município de Esposende avança com mais investimentos no montante de 371 000 euros

Terreno forjaes 1 1024 2500
26 Março 2020

s lourenço

Apesar da conjuntura atual da pandemia do COVID-19, o Município de Esposende continua focado na concretização do projeto de desenvolvimento delineado para o território concelhio. Neste contexto, e apesar das limitações e constrangimentos decorrentes do quadro atual, a Câmara Municipal continua a desenvolver o seu trabalho, procurando dar seguimento aos processos de novos investimentos em todas as freguesias do concelho, com vista à sua concretização.

Neste sentido, vai avançar com mais duas obras, correspondentes a um investimento de 371 000 euros. Trata-se da empreitada de estacionamento de apoio à Igreja de Forjães, cujos trabalhos estão estimados em 360 400 euros, e da obra de recuperação das casas do Núcleo Arqueológico do Castro de S. Lourenço, em Vila Chã, que deverá orçar em 10 600 euros.

Relativamente à obra em Forjães, o objetivo passa por reforçar a capacidade de estacionamento junto à Igreja, dando também apoio à capela mortuária, cemitério e Associação ACARF. Este estacionamento será concretizado através da ocupação de parte do terreno que o Município havia adquirido a sul da Rua Padre Joaquim Lima, sendo que também esta via será alvo de uma intervenção de reperfilamento, de modo a eliminar o estrangulamento existente no acesso à ACARF. Na Rua da Igreja, para além da recuperação do muro e criação de um acesso ao estacionamento, será substituída a pavimentação existente, realçando o caráter pedonal da via.

A intervenção no Núcleo Arqueológico do Castro de S. Lourenço visa a recuperação do revestimento das coberturas em colmo das casas, mantendo a autenticidade deste sítio arqueológico concelhio.

A par destas intervenções, o Município tem em curso ou em vias de concretização um conjunto de intervenções em todo o concelho, no cumprimento do programa autárquico sufragado. O Presidente da Câmara Municipal, Benjamim Pereira, sublinha que, “apesar da complexa situação que vivemos, a todos os níveis, o Município não pode ficar com a sua atividade em suspenso, impondo-se que, dentro dos possíveis, prossiga a sua ação”.

“Nesta fase, há, portanto, que dar andamento aos processos, por forma a que, ultrapassada esta fase da pandemia, possamos arrancar em força com a concretização dos projetos que temos definidos para todo o território concelhio”, afirma, vincando que “estamos focados no nosso trabalho e na execução dos compromissos que assumimos com as populações”.