Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Esposende assinalou 449 anos de Município e 28 anos de cidade

Oj4a69931629393031559 resized 20210819 061604542 1 1024 2500
19 Agosto 2021

tpp
Esposende assinala hoje, 19 de agosto, os 449 anos de Município e os 28 anos da elevação a cidade. O programa comemorativo iniciou-se com o hastear das bandeiras, na Praça do Município, ao som da Banda de Música de Belinho, com os hinos, nacional e da cidade, entoados pela cantora esposendense Bel Viana. Ato contínuo realizou-se a missa solene, na Igreja Matriz, celebrada pelo arcipreste Delfim Fernandes e abrilhantado pelo Grupo de Câmara de Esposende.
As cerimónias prosseguiram com a sessão solene que decorreu numa tenda instalada na marginal, cumprindo as regras de segurança emanadas pela DGS, e na qual foram entregues distinções, segundo o “Regulamento Municipal de Concessão de Medalhas”, em vigor neste Município. A mais alta distinção do Município - a Medalha de Honra - foi atribuída ao Reverendo Padre Avelino Marques Peres Filipe, tendo sido distinguidos com a medalha de Mérito Municipal os cidadãos João Nunes, Manuel Barros, Luís Macedo, Albino Neiva (por impossibilidade do homenageado, a condecoração foi recebida pela vereadora Angélica Cruz), ao sargento-chefe Rui Caseiro, ao capitão-de-fragata Luís Matias e à Escola António Correia de Oliveira, pelo seu 50º Aniversário. Foi atribuída a medalha de Mérito Desportivo à Associação Recreativa de Góios, pelo seu 25º Aniversário. Por bons serviços foram distinguidos os funcionários da Câmara que completaram 25 anos de serviço efetivo: Carlos Alberto Pinheiro Domingues, Jaime Alexandre de Melo Ferreira, Luís Jorge Sacramento Guedes da Silva, Paulo Alexandre Lima Guerreiro, Paulo Filipe Sá Pereira Miranda Figueiredo.
O presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira lembrou as alterações radicais que o quotidiano sofreu. “Quando avançamos para este mandato estávamos longe de imaginar um cenário tão limitativo como aquele que nos surgiu em março de 2020 e que se vem prolongando até hoje”, traduzido em dificuldades que abrangeram a gestão de recursos humanos e eliminação total do investimento em eventos, canalizando as verbas para ajudar nas inúmeras despesas que ultrapassam o milhão e meio de euros investidos.
“Este é um bom exemplo de que, na política, mais do que promessas e compromissos, também é importante a capacidade e a coragem de tomar decisões que defendam os interesses das populações, mesmo que as mesmas surjam de forma inesperada e não encontrem acolhimento nos respetivos manifestos eleitorais”, vincou Benjamim Pereira.
Mas estes tempos difíceis não foram impeditivos do desenvolvimento do concelho, desde logo com o aumento de 2,6% da população, mas que se repercutem, ainda, no aumento de processos na Divisão de Gestão Urbanística, com um aumento de 170% de Pedidos de Informação Prévia, um aumento de 280% nos loteamento e de 50% nas edificações.
“Em suma, uma dinâmica muito acentuada que marca um momento de grande fulgor no investimento no setor imobiliário do nosso concelho”, referiu o autarca, baseando-se em dados concretos como as mais de 500 novas empresas que nasceram em Esposende, o volume de negócios das empresas que cresceu a uma taxa média anual superior a 15%, ou as exportações que aumentaram 25%, comparativamente a 2016.
Também assinalável é a taxa de desemprego, inferior a 5%, com apenas 698 desempregados, das mais baixas do país, registando ainda o terceiro melhor índice nacional de desemprego de longa duração, com 1,3%.
Prosseguindo o balanço, Benjamim Pereira lembrou que o orçamento anual de 2014 era de cerca de 18 milhões de euros e hoje ronda os 38 milhões de euros e, em termos de número de procedimentos para obras municipais, lançados no mandato ainda em curso, “dá-se a coincidência de termos o mesmo número do mandato anterior, 153, mas com a importante particularidade de termos 29 milhões de investimento neste mandato, face a menos de 9 milhões entre 2013/2017”.
Das principais iniciativas do Município no terreno, Benjamim Pereira destacou a instalação do IPCA, o Polo da Universidade do Minho na antiga Estação Radionaval de Apúlia, o Parque da Cidade, já aprovado por todas as entidades e que se encontra agora em fase de avaliação dos terrenos com vista à sua aquisição, o projeto da Ponte pedonal e ciclável sobre o Cávado, a conclusão da requalificação da Escola Secundária Henrique Medina, do Canal Intercetor, da Biblioteca Municipal, do Arquivo Municipal, da Zona Central de Marinhas e da Alameda do Bom Jesus em Fão.
A concluir, Benjamim Pereira apelou para que a campanha eleitoral que se aproxima “decorra de forma elevada e respeitadora, focando as ações e intervenções na mensagem política e no esclarecimento dos eleitores e não no ataque pessoal, na insinuação e na difamação”.
No discurso que marcou “o final de um ciclo politico”, o presidente da Assembleia Municipal de Esposende, Agostinho Silva lembrou que “tão importante como entrar na política é saber quando sair”. Salientando o excelente trabalho daquele órgão autárquico, Agostinho Silva destacou que a sua ação “teve sempre como principal objetivo contribuir para que fossem criadas as melhores condições de vida da população”, recordando que a pandemia obrigou a uma reorganização das autarquias e das suas prioridades.
“É justo que seja reconhecido o trabalho realizado pelo presidente Benjamim Pereira em defesa da população e que permite ao concelho manter índices de crescimento económico invejáveis, o que permite lançar planos audaciosos para o futuro, de aposta no Ensino e na valorização formativa da nossa população”, concluiu Agostinho Silva.
Todas as cerimónias decorreram dentro das normas estipuladas pela Direção-Geral de Saúde.