Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Município de Esposende empenhado na preservação do património natural marinho

Omare 5 1 1024 2500
07 Fevereiro 2020

 

O presidente da Câmara Municipal de Esposende defendeu hoje, no encerramento do congresso internacional sobre Sistemas de Informação do Meio Marinho, que o propósito do Observatório Marinho de Esposende (OMARE), criado pelo Município de Esposende, visa contribuir para a preservação do património natural marinho, salvaguardando a resiliência dos ecossistemas.
"É fundamental que o projeto OMARE prossiga, para além do período inicialmente estabelecido. Temos de encontrar forma de financiar um projeto que se tem revelado muito válido para a preservação do ecossistema marinho, proporcionando um melhor conhecimento do nosso mar", argumentou Benjamim Pereira.
Para Benjamim Pereira, o mar, “fonte de inspiração é, também, no caso das 2,5 milhas da costa de Esposende, fonte de investigação”, antecipando o funcionamento do Centro de Divulgação Científica de Atividades Marinhas que será instalado em Esposende, em colaboração com a Universidade do Minho.
"O projeto OMARE teve, desde a primeira hora a adesão do Município de Esposende e do ICNF. Em termos de gestão da Área Protegida do Litoral Norte também iremos encontrar a coordenação adequada, facultando a intervenção direta do Município no território, por forma a resolver problemas concretos que afetam as populações", vincou Benjamim Pereira.
Para o presidente da Câmara de Esposende, o mar revela-se como um importante “agente” de apoio à atividade turística. “Também por isso, temos todo o interesse no correto uso do mar e de toda a zona costeira. Por isso, entendemos, desde o primeiro dia como fundamental a co-gestão da Área Protegida do Litoral de Esposende, em parceria com o ICNF. Estamos empenhados na certificação da Estação Náutica de Esposende e aderimos a programas de defesa da comunidade piscatória, porque eles são quem melhor conhece o mar, mas queremos complementar esses saberes com conhecimento científico”, concluiu Benjamim Pereira.
Duarte Figueiredo, diretor do Departamento Norte do ICNF, apontou como objetivos de uma área protegida costeira, a resiliência face à erosão, sendo a gestão do território uma ação que deve envolver todos os agentes locais.
No segundo e último dia do congresso internacional, estiveram em análise as Estações de Biologia Marinha, os Sistemas de Informação do Meio Marinho e a Literacia dos Oceanos.
O projeto Observatório Marinho de Esposende (OMARE): Sistema de Informação, Monitorização e Gestão da Biodiversidade Marinha das Áreas Classificadas do Litoral Norte como Ferramenta de Promoção da Sustentabilidade da Utilização dos seus Recursos, de Divulgação e Sensibilização da Comunidade, financiado pela Autoridade de Gestão do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR).
Para melhor conhecer a atividade desenvolvida pelo OMARE, aconselha-se a observação do documentário: https://youtu.be/en32ZRbUHWw