Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Concerto “Falando de Música – Entre o passado e o futuro”

Agenda
18 Nov '23

Sábado, 18 de novembro | 21h30

IGREJA MATRIZ DE APÚLIA

Sinfonietta de Braga e Coro de Pequenos Cantores de Esposende

Nos últimos cinco anos, a Sinfonietta de Braga já levou o programa “Falando de Música” a 24 localidades dos concelhos de Braga, Esposende, Valpaços e Vieira do Minho. Neste que será o terceiro concerto da orquestra, este ano, no concelho de Esposende, a música vai até Apúlia. Para esta ocasião, a Sinfonietta de Braga encomendou uma nova obra coral ao compositor português Telmo Marques, que será estreada em coprodução com um dos coros infantis com maior projeção em Portugal – o Coro de Pequenos Cantores de Esposende -, sob a direção do prestigiado maestro Paulo Vassalo Lourenço.

PROGRAMA

Eurico Carrapatoso (n. 1962) - Dez Vocalizos para Leonor e arcos (1996)

Telmo Marques (n. 1963) - Aqua Mundi (2023, encomenda da Sinfonietta de Braga em estreia absoluta)

Entrada livre, mediante lotação do espaço

Apoio: UF Freguesias Apúlia e Fão, Paróquia de S. Miguel de Apúlia


AQUA MUNDI – sobre a obra

Elemento abundante, porém, precioso.

A água é mundial. É a harmonia no planeta. É a desarmonia no cosmos. É fonte e é vida. É ser humano, quase a cem por cento. 

Mas valerá a pena falar sobre a água?

Já tanto se disse, tanto se escreveu, tanta se derramou e tanta se evaporou...

A água que somos, a que bebemos, a que banhamos, a da chuva que está em cima e a do mar que está em baixo, a que escreve o Manuel Maria, a que contavam os Galeses, (que é álcool por vezes...)... e se transfigurarmos uma evaporação musical numa condensação sonora, obtemos música no estado líquido. Fascinante!...

Telmo Marques, out 2023

Sinfonietta de Braga

A Sinfonietta de Braga surgiu em 2006 como uma iniciativa de estudantes do Conservatório de Braga, tendo se metamorfoseado uma década depois num projeto cooperativo de artistas profissionais. Tem por missão democratizar o acesso à música erudita e valorizar o potencial humano dos músicos portugueses proporcionando uma rampa de lançamento ou um complemento às suas carreiras. Com uma atividade estruturada sobretudo em torno da orquestra de cordas, a Sinfonietta já promoveu e apresentou concertos em várias regiões de Portugal, com solistas nacionais e internacionais. Promove ainda dois festivais – FIO e Festival Arcada – bem como dois ciclos de programação em Braga: Guarda-jóias e Viagem de Inverno. O seu programa de Mediação e Desenvolvimento de públicos “Falando de Música” é desenvolvido em parceria com os municípios de Braga, Esposende e Valpaços.

Coro de Pequenos Cantores de Esposende

O Coro de Pequenos Cantores de Esposende (CPCE) surge em finais de 2009, fruto de uma parceria entre o Município de Esposende e a Escola de Música de Esposende. Ao longo do seu percurso, teve a oportunidade de realizar masterclasses com diversas/os diretores/as corais, nacionais e internacionais, algumas/ns dos quais verdadeiras referências mundiais, como Zimfira Poloz, Anita Morrinson, Lluis Vila i Casañas ou Jo McNally. Destacam-se do seu percurso a encomenda e estreia absoluta de obras de prestigiados compositores portugueses, como Telmo Marques, Fernando Lapa, Sérgio Azevedo, Paulo Bastos, Eugénio Amorim, Osvaldo Fernandes, Pedro Santos, Rui Paulo Teixeira, ou António Pinho Vargas, assim como a presença em “palcos” e eventos de referência, como a Casa da Música, o Centro Cultural de Belém, o Coliseu do Porto, o Theatro Circo (Braga), o Santuário de Fátima, a Igreja da Lapa (Porto), a Sé de Braga, a Catedral de Almudena (Madrid), os Festivais Internacionais de Órgão de Braga, Porto, Santarém e Viana do Castelo, entre outros. O CPCE conta com três trabalhos discográficos, nomeadamente “Mudam-se os Tempos” (2013), “É tempo de Natal” (2014) e “AETERNUM” (2019), este último em parceria com o Coro Ars Vocalis. Integrou ainda outros projetos de gravação, nomeadamente a convite da Associação Portuguesa de Educação Musical e da Orquestra Portuguesa de Guitarras e Bandolins. Desde a sua fundação, Helena Venda Lima assume a direção artística e coral, tendo como diretor coral assistente, desde 2020, Ernesto Clemente.

Paulo Vassalo Lourenço, direção musical

Doutorado em Direção Coral pela Universidade de Cincinnati/College-Conservatory of Music, onde exerceu funções de Teacher Assistant em Introduction to Conducting e de Assistant Conductor no University of Cincinnati Chamber Choir. Foi maestro assistente do Coro Gulbenkian entre 2013 e 2018, com o qual preparou o grande repertório coral sinfónico para figuras como Gustavo Dudamel, Simone Young, Jonathan Nott, Alain Altinoglu, Lawrence Foster, Paul McCreesh entre outros. É professor coordenador do Mestrado em Direção Coral na Escola Superior de Música de Lisboa. Apresentou-se como maestro convidado em diversos países europeus, nos EUA, México, Brasil e na Ásia (China, Singapura, Israel e Turquia). Fundou e dirigiu com Carlos Caires o Coro Ricercare, agrupamento com o qual foi galardoado por duas vezes. Dedica uma parte substancial do seu trabalho à divulgação do repertório português, sendo responsável por mais de 100 estreias absolutas de compositores portugueses. É fundador do grupo vocal masculino Tetvocal, onde cantou entre 1992 e 2004, tendo gravado 11 Cd’s. Foi nomeado Consultor Musical da Europa Cantat em 2014. Dirige ainda o ECCE Ensemble, um grupo profissional formado por atuais e ex-alunos, com o qual desenvolve sobretudo um trabalho de divulgação de repertório português. Com o ECCE Ensemble foi-lhe galardoado o prémio de “IFCM Ambassador” (International Federation of Choral Music). É presidente da COROS PORTUGAL (Associação Portuguesa de Música Coral). Na qualidade de fundador e diretor artístico do Festival Coral de Verão, tem-se destacado na apresentação de novas obras corais sinfónicas em estreia mundial ou em 1ª audição portuguesa.