Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Município avança com projeto de eficiência energética

Luz 1 1024 2500
17 Ago

smartcity
ILUMINAÇÃO PÚBLICA TODA SUBSTITUÍDA POR TECNOLOGIA LED


O Município de Esposende vai avançar com um projeto na área da iluminação pública, numa operação que permitirá a substituição de todas as luminárias por sistemas mais eficientes e, ainda, a implementação de um sistema de gestão inteligente. Associado ao projeto Esposende Smart City, perspetiva-se um grande potencial de melhoria de eficiência energética, representando poupanças significativas face ao consumo anual atual, ao qual se associam vantagens ao nível ambiental e financeiro.
Essas medidas que envolvem o estabelecimento de um Contrato de Gestão de Eficiência Energética, obedecem a um conjunto de ações, contemplando, nomeadamente, a substituição de toda as luminárias convencionais por tecnologia LED, a gestão técnica dos equipamentos e sistemas instalados, a manutenção de todos os bens afetos ao contrato e, ainda, a gestão dos consumos energéticos e a aplicação de um Plano de Medição e Verificação.
Estes últimos envolvem um sistema de telegestão, o qual permitirá gerir a iluminação, aumentando ou diminuindo a intensidade, detetando avarias nas luminárias ou respondendo à oscilação da luminosidade natural.
Para além dos relevantes contributos para o combate às alterações climáticas, o Município de Esposende pretende responder, também, aos constantes constrangimentos decorrentes de avarias na rede de iluminação pública, cuja solução se arrasta no tempo, com naturais prejuízos para a população.
O Programa de Eficiência Energética na Administração Pública - ECO.AP, aprovado pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 2/2011, de 12 de janeiro, constitui um instrumento de execução do Plano Nacional de Ação para a Eficiência Energética (PNAEE) que visa alterar comportamentos e promover uma gestão racional dos serviços energéticos, com o objetivo de alcançar um nível de eficiência energética no setor público, sem aumento da despesa pública e estimulando a economia no setor das empresas de serviços energéticos, através da contratação pública da gestão de serviços energéticos.
Em coerência com aquelas que têm sido as políticas locais em matéria de preservação ambiental, Esposende não se alheou à necessidade de implementação de todas as possíveis medidas de boa gestão da componente energética, empenhando-se, pois, em prestar o seu contributo para a minimização de emissões de CO2, contribuindo para as metas nacionais e para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no que diz respeito ao combate às alterações climáticas.