Passar para o Conteúdo Principal

O Autor

catalogo dos 25 anos do CRUAB-CM Porto

Viana de Lima anos 70
 
Biografia

ALFREDO EVANGELISTA VIANA DE LIMA nasce em Esposende, em 18 de agosto de 1913, e morre no Porto, em 28 de Dezembro de 1991. Iniciou os estudos de arquitectura em 1929, sob a orientação do Arq. Marques da Silva.


O curriculum do Arquiteto Viana de Lima é vasto. Produziu alguns dos ícones da História da Arquitetura Portuguesa e é considerado como um dos principais responsáveis pela implementação do Movimento Moderno da Arquitetura em Portugal. Coordena diversos projetos que se convertem em estruturas significativas.


• Na década dos anos trinta Viana de Lima inicia a sua atividade profissional na segunda metade da década dos anos trinta, na Direção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais sob a orientação do Arquiteto Rogério de Azevedo.

• Na década dos anos quarenta termina o curso na Escola de Belas Artes do Porto (ESBAP) com a nota final de 19 valores (1929/41) e, em simultâneo, projeta vários edifícios de caráter habitacional, entre os quais destacamos a residência localizada na Rua Honório de Lima, no Porto.
È um dos fundadores da Organização dos Arquitectos Modernos (ODAM), 1947/52;
Em 1947 é convidado para ser correspondente da revista francesa “ Technique et Architecture”, onde são publicados alguns dos seus trabalhos.
Em 1948, participa no I.º Congresso Nacional de Arquitetura (SNA), onde Viana de Lima se destaca na sua participação, tendo defendido princípios expressos na “Carta de Atenas”.

• Durante os anos cinquenta, Viana de Lima, para além de realizar projetos de residência doméstica icónicos, liderou o grupo português que participa nos CIAM (1950/59): Inglaterra, 1951; Aix-en-Provence, França, 1953; Dubrovnik, Jugoslávia 1956; Otterlo, Holanda, 1959.
No fim da década inicia o projecto do Complexo Hospitalar de Bragança.
Em 1959, foi convidado a participar na “World Design Conference”.

• Na década de sessenta projeta a Faculdade de Economia da Universidade do Porto.
Em 1961 obtém, na segunda Exposição de Artes Plásticas da Fundação Calouste Gulbenkian, o Grande Prémio da Arquitetura. Inicia uma estrita colaboração com aquela instituição.
Durante esta década é consultor em vários municípios para o planeamento, tais como Bragança, Valença, Monção, Vila Verde, Macedo de Cavaleiros, Mirandela, Vila da Feira, Porto, Batalha e Esposende.
Na mesma década é convidado pelo Arquiteto Carlos Ramos para lesionar na Escola Superior de Belas Artes do Porto das disciplinas de “composição de Arquitectura” e de “Organização de projectos e estaleiros”.


Em 1965 integra a Comissão Organizadora das Exposições de Arte e Arquitectura para as comemorações do IV Centenário do Rio de Janeiro.
Colabora com o Arquiteto Óscar Niemeyer(http://www.niemeyer.org.br/obras) em dois projetos, um para a Vila do Bispo, Pena Furada e outro para a Madeira, no Funchal.


Em 1968, consultor da UNESCO (http://en.unesco.org/) e é enviado para o Brasil, Ouro Preto para realizar o plano director.
Em 1969 é convidado para membro da Associação Internacional Le Corbusier(http://www.fondationlecorbusier.fr/corbuweb/morpheus.aspx?sysName=home&sysLanguage=fr-fr&sysInfos=1), na Suíça.

• Nos anos setenta, a convite da UNESCO, dará aulas no Brasil, sobre temas de restauro, preservação e revitalização de centros históricos de S. Luís e Alcântara, no Estado do Maranhão, Laranjeiras e S Cristóvão, no Estado de Sergipe, Marechal Deodoro e Penedo, no Estado de Alagoas.
Em 1971 é agraciado com a Medalha de Honra da cidade de Ouro Preto, Brasil.

Em 1974 é indigitado pela UNESCO sobre a problemática do património, dá aulas na Universidade de S. Paulo e mais tarde, em 1976, na Universidade Federal do Recife.
Em 1975 é presidente da Comissão Nacional do Ano Património Europeu, representando Portugal.
Em 1977/91 é consultor do Comissariado para a Renovação Urbana da Área da Ribeira/Barredo (CRUARB), no Porto.
Preside a Comissão Organizadora do Instituto de Salvaguarda do Património Cultural e Natural, em Portugal. Designado mais tarde por Instituto Português do Património Cultural (IPPC), 1977/80.
Representa o Estado português em Granada nos trabalhos do conselho da Europa.
Em 1978 é chefe adjunto da delegação Portuguesa à reunião da UNESCO realizada em Lisboa sobre a preservação de Património Cultural Móvel.
Participa em Ferrara, Itália, na reunião do Conselho da Europa sobre Centros Históricos. E mais tarde, em Munique, Alemanha, dirigiu e contribuiu para a apresentação da intervenção do trabalho desenvolvido no CRUARB, centro histórico do Porto.

• Nos anos oitenta realiza projectos no Brasil, Malásia, Marrocos, Moçambique e Tailândia.
Em 1981, por encargo da Fundação Calouste Gulbenkian o arquitecto vai desenvolver um trabalho de salvaguarda do património para da Ilha de Moçambique.
Em 1983, ingressa na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa como professor e Conselheiro da Universidade Técnica de Lisboa.
No mesmo ano de 83, estuda e projecta medidas de salvaguarda do Forte do Príncipe da Beira, na Rondónia, Brasil, por missão da Fundação Calouste Gulbenkian.
Em 1984 expõe a conferência inaugural da 1.ª jornadas Luso-Brasileiras do Património.
Em 1984 preside ao II Congresso da Associação dos Arquitectos Portugueses.
Em 1984/5 consultor da Fundação Calouste Gulbenkian, para a preservação e regeneração das, Ruínas da Igreja de S. Paulo e da Porta de Santiago na antiga Fortaleza de Malaca, Malásia.
Em 1986 consultor da Fundação Calouste Gulbenkian para os estudos de revitalização e protecção patrimonial do "campo português" de Ayutthaya - Ruínas da Igreja, do Convento e do antigo Cemitério dos Dominicanos, Tailândia.
Em 1987 desloca-se a Marrocos e estuda a Torre de Arzila. A obra é realizada a título póstumo.
Em 1988 é distinguido com a Medalha de Mérito Municipal do Porto – Grau Ouro.

• Nos anos noventa, em 1993 é atribuído pelo Presidente da República Jorge Sampaio, a título póstumo, as insígnias de Comendador da Ordem de Santiago da Espada, na cerimónia do Dia de Portugal.
Em 1996 o Centro do Porto é declarado Património Mundial da UNESCO, devido aos trabalhos desenvolvidos no CRUARB por Viana de Lima.

Conheça a obra e percurso de Viana de Lima no mundo