Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Obras da Escola Secundária Henrique Medina dentro dos prazos

Eshm1 1 1024 2500
02 Jul

ESHM2

O presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira e a vereadora com o pelouro da Educação, Angélica Cruz, realizaram uma visita de acompanhamento da obra de recuperação e ampliação da Escola Secundária com 3.º Ciclo Henrique Medina, de Esposende. Aproveitando a pausa escolar para férias, os autarcas tiveram oportunidade para debater aspetos de pormenor da obra, aproveitando a presença da direção da escola, do arquiteto responsável pelo projeto, assim como o empreiteiro que está a realizar os trabalhos.
O encontro serviu, ainda, para sensibilizar os responsáveis da obra para a necessidade de acelerar os trabalhos que carecem de intervenção na ausência dos alunos, para que o estabelecimento de ensino esteja pronto a reiniciar o próximo ano letivo com a possível normalidade.
Lembre-se que em curso está a primeira intervenção de fundo na única escola secundária do concelho de Esposende, construída há 38 anos. Além das obras previstas para esta primeira fase, Benjamim Pereira abordou outros aspetos, designadamente o interesse da autarquia em propiciar as condições necessárias ao normal funcionamento da escola.
O projeto em execução, da autoria do arquiteto Marques Franco, prevê a substituição de todas as coberturas em fibrocimento, bem como a demolição do bloco oficinal existente. Está a ser construído, de raiz, um novo edifício que marca a entrada da escola, interligando os diferentes edifícios existentes. Aqui, além dos espaços interior e exterior de receção, funcionará uma sala de projeção, a biblioteca, a secretaria, o arquivo e a zona de atendimento a encarregados de educação. Na zona mais reservada, encontram-se os gabinetes da direção, assim como instalações sanitárias.
O atual refeitório será alvo de profunda remodelação, assim como o salão polivalente, conferindo uma maior valia funcional a todo o espaço, prevendo, ainda, novas instalações sanitárias.
As obras decorrem de um acordo estabelecido entre o Município de Esposende e o Ministério da Educação e Ciência, fixando-se o custo global em 2.217.152,00 euros e tendo 24 meses como prazo de execução.
Esta obra é financiada por fundos comunitários, no montante de 1.884.579 euros, através do Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial da Comunidade Intermunicipal do Cávado (CIM Cávado), sendo a contrapartida pública nacional, no valor de 332.573 euros, correspondente a 15% do valor da obra, suportada, em partes iguais, pelo Município de Esposende e pelo Ministério da Educação e Ciência.
A obra chegou a estar prevista na quarta fase das intervenções definidas pela Administração Central, no âmbito do Programa de Modernização do Parque Escolar, com um orçamento estimado de cerca de 14 milhões de euros, mas não chegou a ser executada.
Esta postura enquadra-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas, nomeadamente Educação de Qualidade, Reduzir as desigualdades, Cidades e Comunidades Sustentáveis e Parcerias para a Implementação dos Objetivos de Sustentabilidade.