Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Candidaturas ao Prémio Literário Manuel de Boaventura 2019 a partir de 15 de outubro

Premio2019 1 1024 2500
12 Outubro 2018

O prazo de candidaturas à segunda edição do Prémio Literário Manuel de Boaventura vai decorrer entre 15 de outubro de 2018 e 15 de janeiro de 2019.

Este prémio, de periodicidade bienal, foi instituído pelo Município de Esposende com o intuito de homenagear e divulgar este escritor e homem de cultura esposendense. A primeira edição realizou-se em 2017, tendo premiado a escritora Ana Margarida de Carvalho pela obra “Não se pode morar nos olhos de um gato”.

O Prémio Literário Manuel de Boaventura tem o valor pecuniário de 7 500 euros e contempla a modalidade da criação narrativa de Romances ou de Contos da autoria de escritores de língua portuguesa. Podem concorrer autores maiores de 18 anos, com obras editadas em livro e escritas em língua portuguesa, cuja primeira edição tenha ocorrido durante o ano de 2018.

A avaliação das obras estará a cargo de um júri constituído por dois críticos literários de reconhecido mérito académico e por um representante da Câmara Municipal de Esposende.

As obras a concurso deverão ser enviadas via CTT, com registo e aviso de receção, para o endereço: Biblioteca Municipal Manuel de Boaventura, Rua Dr. José M. Oliveira, 4740-265 Esposende.

O regulamento está disponível para consulta on-line, em http://www.municipio.esposende.pt/pages/980

Natural de Vila Chã, onde nasceu em 1885, Manuel Joaquim de Boaventura fixou residência, em 1906, na freguesia de Palmeira de Faro, onde escreveu toda a sua obra literária, composta por dezenas de títulos e uma notável colaboração jornalística nas principais revistas e jornais nacionais. A sua paixão pela cultura local, pelos hábitos e costumes do Minho, pelo linguarejar típico, levaram-no a coligir e publicar, entre outras, uma extraordinária obra, Vocabulário Minhoto. Nos seus romances e contos, reconhece-se a escrita da terra, os vocábulos lugareiros, as romarias e festas, o mundo maravilhoso de lendas, bruxas, gnomos, lobisomens, fadas e diabos, a narrativa humorística e emotiva dos costumes e paisagens de Entre Douro e Minho, especialmente o seu “terrunho” natal. Manuel de Boaventura faleceu a 25 de Abril de 1973.