Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Município de Esposende debate “A Etnografia e o Folclore do Mar de Esposende”

Rncmr 1 1024 2500
10 Novembro 2017

O Município de Esposende, que preside, pelo segundo mandato consecutivo, à Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios (RNCMR), vai organizar, no próximo dia 17 de novembro, o 4.º Seminário desta Rede, subordinado à temática “A Etnografia e o Folclore do Mar de Esposende”.

O evento integra as comemorações do Dia Nacional do Mar, que se assinala a 16 de novembro, e decorrerá no Fórum Municipal Rodrigues Sampaio, em Esposende. A participação é gratuita, contudo, carece de inscrição prévia, a efetuar até ao dia 15 do corrente, através do e-mail museu.esposende@cm-esposende.pt .

Esposende, cidade e concelho, é terra de usos e costumes de tradições agro-marítimas seculares, onde subsistem a pesca tradicional e as paisagens rurais associadas à agricultura do sargaço. Esta cultura encontra-se refletida nos agrupamentos folclóricos, ranchos e rondas, agrupamentos etnográficos que projetam o presente do concelho através do que recolheram e adaptaram do passado rural e agro-piscatório. Património cultural visível através dos trajes, das danças e da musicalidade, sempre associados a formas de produção rural, piscatória ou artesanal, tem ainda representações do quotidiano de outrora, cadenciado pela música e pelas canções de índole tradicional, nestes agrupamentos etnográficos, de onde se destacam os Sargaceiros, verdadeiros guardiões do património etnográfico do mar, que em Esposende importa patrimonializar e preservar. Dos mares vizinhos, a norte e a sul, também mares de Esposende, chegam fortes influências culturais, presentes nas tecnologias tradicionais associadas às paisagens do sargaço, no trajar e no folclore.

O Presidente da Câmara Municipal de Esposende e Presidente da Rede Nacional da Cultura dos Mares e dos Rios, Benjamim Pereira, presidirá à sessão de abertura do Seminário, às 15h30.

O Comissário Científico, Álvaro Campelo, fará o enquadramento sobre o folclore e etnografia do sargaço, seguindo-se a apresentação do filme “Esposende e o seu Folclore” produzido pelo Município, onde se registam os contributos dos oito agrupamentos etnográficos presentes no território do concelho na forma de “Rancho” com atividade etnográfica em torno das danças e cantares.
Os trabalhos iniciam-se com o painel “Mares do Sargaço”, dedicado aos mares vizinhos, com a apresentação das experiências a norte, onde o Museu do Sargaço do Castelo de Neiva é único no seu género, envolvendo a Junta de Freguesia de Castelo de Neiva, o Grupo Folclórico e Etnográfico de Castelo do Neiva, o Grupo Folclórico de Castelo de Neiva e o Museu do Traje de Viana do Castelo. As experiências dos mares a sul envolvem o Museu de Etnografia e História da Póvoa de Varzim e o Rancho Poveiro, verdadeiros guardiões do património da comunidade poveira, considerada a maior comunidade sardinheira do norte de Portugal que influenciou, historicamente, a norte e a sul os mares vizinhos, e onde a atividade sargaceira se encontra preservada, destacando modos de usar e de fazer, materializados nos trajes, alfaias e tecnologias do sargaço. Este painel terá moderação da Vereadora da Cultura do Município de Esposende, Angélica Cruz.

Num segundo painel, dedicado às “Paisagens do Sargaço”, moderado pelo Almirante José Bastos Saldanha, um dos fundadores da RNCMR e seu Vice-presidente, representando a Sociedade de Geografia de Lisboa, será abordado o mar de Esposende, contando com intervenções sobre o Parque Natural Litoral Norte e os 30 anos ao serviço da proteção das paisagens do sargaço da Área de Paisagem Protegida do Litoral de Esposende, e o papel do Museu Marítimo de Esposende da Associação Forum Esposendense, onde as boas práticas nos cuidados de preservação das alfaias do sargaço pretendem ser uma referência nacional. A finalizar os trabalhos serão abordadas as experiências das reconstituições históricas, o “argaço” do Grupo de Marinheiros de Fonte Boa e as “mareadas do sargaço” de um dos mais antigos agrupamentos etnográficos do país, o Grupo dos Sargaceiros da Casa do Povo de Apúlia.