Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao início

Esposende recebeu Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Sec estado ensino superior 1 1024 2500
29 Outubro 2017

No encerramento do 14.º Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, a Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Fernanda Rollo, defendeu que “cada biblioteca deve ser uma porta para a Ciência Aberta, basta que as bibliotecas se inscrevam”.

“As bibliotecas são esse espaço, esse cosmos onde tudo pode acontecer, importantes na ligação do estudo à comunidade. Com o programa Ciência Aberta, as bibliotecas vão ter de mudar na sua postura física, criando espaços mais amplos para facultar a partilha, nomeadamente de repositórios digitais”, alertou a Secretária de Estado.
“Todos temos de fazer mais pela promoção da literacia, pela literacia digital e o Plano Nacional de Leitura está projetado para essa necessidade”, apontou Fernanda Rollo que manifestou disponibilidade para ajudar as bibliotecas, nomeadamente com disponibilização de ferramentas para acesso às novas tecnologias.
A governante anunciou o programa que pretende aproximar ciência e cultura -C2 Diálogos Cruzados- que visa aliar estas duas áreas, assim como o projeto Volta ao Conhecimento que desperta o interesse pela aquisição de conhecimentos e associa o conhecimento ao território.
No balanço a este encontro de bibliotecários que ocorreu vinte e cinco anos após a realização, também em Esposende, do 1.º Encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, a vereadora da Educação e Cultura do Município de Esposende, Angélica Cruz, lembrou que o encontro abriu “múltiplas oportunidades, graças à participação de conferencistas de elevada qualidade que ajudaram a refletir sobre as exigências e os novos desafios colocados às bibliotecas públicas na contemporaneidade, permitindo também conhecer projetos de grande valor.
Queremos melhorar o serviço prestado pelas bibliotecas para contribuir na formação de verdadeiras comunidades de leitura e outras, para que possamos dar resposta à sociedade da comunicação. Depositamos grande esperança nos projetos perspetivados no âmbito das CIM”, disse Angélica Cruz.
Isabel Costa, presidente da Delegação Regional Norte da Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas, destacou a importância dos debates realizados pelos grupos de estudo, alertando para as preocupações bem diferentes daquelas verificadas há 25 anos.
Já o diretor-geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, Silvestre Lacerda, vincou a colaboração das três entidades responsáveis pelo evento, destacando o trabalho de técnicos do município, assim como do ex-vereador, Maranhão Peixoto.
“O alargamento da rede é um sonho, incluindo todas as estruturas, mas para isso é necessário evoluir na qualidade de serviços e olhar o cidadão no centro da sua ação”, destacou Silvestre Lacerda.
Este encontro debateu assuntos diversos do universo do livro e da leitura, nomeadamente os novos paradigmas das tecnologias da comunicação, passando pela formação e literacias, as redes e cooperação e a gestão de espaços, públicos e coleções.